21 de agosto de 2009

Jardim interior (Mário Quintana)

Todos os jardins deviam ser fechados,
com altos muro de um cinza muito pálido,
onde uma fonte
pudesse cantar
sozinha
entre o vermelho dos cravos.
O que mata um jardim não é mesmo
alguma ausência
nem o abandono...
O que mata um jardim é esse olhar vazio
de quem por eles passa indiferente.

3 comentários:

  1. Lindo poema

    adorei "."

    mas eu qro ver um texto seu por aki
    ahauhauah


    bjs

    ResponderExcluir
  2. Ana, só tem um texto meu, o nome é transeunte, ponho mais postagens que não são minhas, mas tenho que voltar ao costume de escrever, vou postar mais textos meus...

    ResponderExcluir
  3. Se todas as pessoas pudesse ter este olhar de Mário Quintana e viver com a sabedoria das palavras dele ,com certeza o mundo seria melhor

    ResponderExcluir