12 de julho de 2009

Transeunte

Desinquieto-me,
Ponho em xeque tudo o que consegui acumular de paciência
O que eu quero nem mesmo compreendo
Minha ansia insaciavel de não sei o que corrói;
Meu desejo e atração está no dinamismo das coisas
Em saber mudar o suficiente para conservar nossa essencia;

Eu sou essencia!
Por isso me repgna o estático
Me afasta o imóvel
sou tudo o que deixei de fazer.
Mudar pra onde? E mudar para que?


Que o minimo possivel essas perguntas permanessam
Sei muito bem para onde.
Sei melhor ainda para que.
Minha ansia na verdade é pensar no melhor
E ter que esperar para acontecer.

Quero estar um passo da minha realidade...
Quero estar um sonho do meu futuro...
Quero tocar os dois com mesmo passo
Como sou;
O que me move é o desprezo de poder ficar
À margem de mim mesmo.

Um comentário:

  1. Maravilhoso,pena que não esta o nome do escritor
    Mais acho que conheço ele
    Se for quem estou pensando,ele é tudo de bom, eu diria que ele esta pronto para escrever um livro,
    Não faltaria conhecimento e sabedoria pra isso
    "consegui acumular de paciência"(Guilherme)
    Deixa de ser irônico,você é a própria paciência
    Só posso me orgulhar de você.

    ResponderExcluir